quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Às onze e meia


Às onze e meia da noite
rastejam cobras na lama
onde afocinham as putas
Senhoras Donas da Cama.
Mas as putas que são putas.
Não as que têm a fama

Joaquim Pessoa

Um comentário:

  1. cheguei aqui por acaso não ás onze e meia mas no final da tarde :)...e foi muito bom ver poemas tao belos e sedutores como os do Joaquim Pessoa...
    Excelente bom gosto
    Parabens
    brisas doces para si

    ResponderExcluir